O diretor de relações governamentais da PEIXE BR, Jules Ignácio Bortoli, participou do lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018, no Palácio do Planalto, em Brasília.

O Plano contempla a liberação de R$ 190,25 bilhões para a Safra 2017/18, em crédito para médios e grandes produtores. O valor estará disponível a partir de julho.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), além de elevar o valor disponível para o financiamento, o Plano Safra 2017/18 também terá juros menores, variando de 6,5% ao ano a 8,5% ao ano.

De acordo com o Ministério, R$ 150,25 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização da produção, sendo que R$ 116,25 bilhões terão juros controlados e R$ 34 bilhões juros livres, que dependerão de negociação entre o produtor e a instituição financeira.

Já o valor destinado a investimentos é de R$ 38,15 bilhões. Desse valor, R$ 1,4 bilhão serão para apoio à comercialização. Também serão disponibilizados R$ 550 milhões para seguro rural.

Por sua vez, os juros das principais linhas de financiamento do meio rural devem cair 1 ponto porcentual em relação ao ano passado.

O Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) terá juros de 7,5% ao ano e contará com R$ 21,7 bilhões. Já a taxa para os demais produtores será de 8,5% ao ano. No Plano Safra anterior, as taxas eram de, respectivamente, 8,5% para 9,5.

Já o programa de Inovação Tecnológica (Inovagro) contará com R$ 1,26 bilhão, com limite de R$ 1,1 milhão por produtor e taxa de juros de 6,5% ao ano.

O Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota) passa a contar com R$ 9,2 bilhões, com taxa de 7,5% ao ano.

A taxa do Programa para Construção e Ampliação de Armazéns terá taxa de 6,5% ao ano.