Francisco Medeiros é o novo diretor presidente da Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR), entidade de âmbito nacional que reúne produtores, indústrias (nutrição, saúde e equipamentos), entidades de classe e frigoríficos. Medeiros exercia o cargo de secretário executivo da associação. A criação da Diretoria Executiva da PEIXE BR foi proposta pelo Conselho de Administração e aprovada pelos associados da entidade em assembleia realizada em São Paulo.

“A Piscicultura brasileira está em crescimento acelerado e exige da PEIXE BR muita agilidade. O objetivo de ter uma Diretoria Executiva é exatamente intensificar a participação da associação nas discussões mais importantes da cadeia produtiva, além de dar respaldo às empresas, produtores e entidades de classe associadas em termos de legislação, regulamentação, mercado e demais necessidades”, explica Ricardo Neukirchner, presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira da Piscicultura, também eleito para mandato de dois anos (2017/2018).

“A Diretoria Executiva da PEIXE BR é formada por profissionais de diversos segmentos da Piscicultura, com interesses convergentes e focados na profissionalização da cadeia produtiva. Temos muito o que trabalhar em prol do fortalecimento da Piscicultura nacional, que cresce em ritmo elevado e precisa de normas, processos e regras claras”, diz Francisco Medeiros.

 

A Diretoria Executiva da PEIXE BR é formada por:

Diretor Presidente: Francisco Medeiros

Diretor Vice-Presidente: Marcelo Toledo

Diretor Secretário: André Luiz Camargo

Diretor Tesoureiro: Mauro Tadashi Nakata

Diretor Internacional: Giovanni Lemos de Mello

Diretor de Relações Governamentais: Jules Ignácio Bortoli

 

O novo Conselho de Administração da PEIXE BR é composto por:

Presidente: Ricardo Neukirchner

Vice-Presidente: Breno Davis

Membros: Eduardo Amorim, José Ricardo Rocha, Juliano Kubitza, Ramon Amaral Neto, Martinho Colpani Filho e Paulo Roberto Silveira Filho

 

O Conselho Fiscal também foi renovado: Valdemir Paulino dos Santos Brasileiro, Cleiton Coldebella e João Manoel Cordeiro Alves