Além de líder na produção de grãos e dono do maior rebanho bovino do país, Mato Grosso mostra seu potencial na piscicultura. O estado é o quarto maior produtor do país, segundo a Associação Brasileira de Piscicultura. Foram 62 mil toneladas em 2017, crescimento de 3,5% na comparação com o ano anterior.

Entre os motivos do avanço está a demanda, considerada firme e crescente. Para o fim do ano, aliás, ela tende a ficar ainda mais aquecida, de acordo com o presidente da Peixe BR, Francisco Medeiros. A expectativa é de que a procura por pescado fique até 30% maior no último trimestre, impulsionada pelo período de defeso animal (conhecido como piracema) – quando praticamente não há oferta de peixes de rio – e, principalmente, porque devido às condições climáticas do estado, a proteína se torna mais atrativa aos consumidores, por ser uma carne mais “suave” para ser consumida no clima quente. No cenário nacional a demanda neste período também deve crescer, avalia Francisco, mas em escala mais tímida.

O presidente da Peixe BR também reafirma a expectativa de novo avanço na produção de pescado no país, que no ano passado saltou 8%, ficando na casa de 691 mil toneladas. Para este ano, a previsão é de um crescimento superior a 10%.

“E esta taxa poderia ser ainda maior”, afirma Francisco. Ele explica que antes da greve dos caminhoneiros, a perspectiva era de avanço acima de 10%. Porém, o setor ainda vem se recuperando do mês difícil enfrentado pelos piscicultores. “Alguns produtores ficaram de 3 a 4 semanas sem conseguir comercializar e fazer o transporte e, mesmo após o fim da greve, esse produtor não vendeu dobrado, o consumo continuou no mesmo ritmo”, explica o presidente.

Blog Canal Rural – Mato Grosso / Veja na íntegra: https://tv.uol/17SfN