“O Paraná é o estado líder na produção de peixes cultivados, com 93.600 toneladas, segundo o Anuário Brasileiro da Piscicultura. A julgar pela expressiva participação dos produtores no 16º Seminário Estadual de Aquicultura, em Londrina, o estado deve atingir novos recordes nos próximos anos”. A afirmação é de Ricardo Neukirchner, presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR).

Segundo estimativas dos organizadores, mais de 300 piscicultores e produtores rurais que desejam investir na atividade assistiram à apresentação de Francisco Medeiros, secretário executivo da PEIXE BR, que falou sobre “A Organização setorial da Piscicultura no Brasil e seu impacto nos negócios da cadeia produtiva”.

Francisco abordou a importância da organização da atividade em torno da PEIXE BR e os ganhos da organização nacional para toda a cadeia produtiva. Em pouco mais de dois anos de atuação, a associação já representa cerca de 50% da produção brasileira de peixes cultivados.

O dirigente também abordou os principais gargalos da Piscicultura e as principais diretrizes da PEIXE BR ligadas ao fortalecimento da atividade e a competitividade do produto nacional tanto no Brasil como no mercado externo. “Como atividade recente, a Piscicultura tem muitos desafios, mas as possibilidades de crescimento são excepcionais”, ressaltou Francisco Medeiros.

O 16º Seminário Estadual da Aquicultura é organizado pelo Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) juntamente com a Associação Norte Paranaense de Aquicultores (ANPAQUI). O evento faz parte da 57ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina (ExpoLondrina), um dos maiores eventos do agronegócio,

“Paraná superou adversidades econômicas e, contando com o indispensável trabalho dos projetos aquícolas independentes e, especialmente, das cooperativas e seus produtores integrados, cresceu 17% em 2016. Tornar a Piscicultura uma prática sustentável e de forma organizada é um dos principais desafios para o Paraná”, complementa Ricardo Neukirchner.