A Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR) aguarda, com expectativa positiva, a definição dos nomes que comporão o próximo governo para tratar dos temas mais importantes relacionados à cadeia produtiva dos peixes de cultivo, responsáveis por movimento superior a R$ 5,4 bilhões anuais, mais de 1 milhão de empregos diretos e indiretos e 691.700 toneladas de alimentos em 2017.

A mais importante demanda da PEIXE BR e de toda a cadeia da produção de peixes de cultivo é o retorno da atividade ao âmbito do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), destino tido como natural para abrigar a Aquicultura, uma vez que lá já estão as indústrias de insumos (genética, sanidade e nutrição), além da promoção da produção no exterior.

“A PEIXE BR e a Piscicultura brasileira como um todo têm grande e positiva expectativa em relação ao novo governo e espera que a atividade volte a estar abrigada no MAPA, de onde nunca deveria ter saído”, diz a diretoria da Associação Brasileira da Piscicultura.